Zero, 30 anos: tradição e história

O jornal laboratório Zero, do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa
Catarina (UFSC) completa 30 anos em setembro de 2012. Considerado o produto
laboratorial mais importante da matriz curricular do curso, como espaço de formação
e experimentação, o jornal está sendo repensado do ponto de vista pedagógico. No
contexto de ascensão do novo ecossistema midiático, balizado pela convergência
acelerada das mídias digitais com o modus operandi industrial, o jornal laboratório
da UFSC se reinventa para manter-se relevante e atual.

O perfil textual do jornalismo laboratorial impresso de Campo Grande: ensino e mercado de trabalho

Esta comunicação científica identifica o perfil textual do jornalismo laboratorial impresso de
Campo Grande formado por quatro jornais-laboratórios: Projétil, Unifolha, Folha Guaicuru e
Em Foco. São apresentados resultados obtidos após a análise de conteúdo de 199 unidades de
informação publicadas de março a julho de 2010, com base na taxonomia de José Marques de
Melo que classifica o jornalismo brasileiro em cinco gêneros jornalísticos.

Lampião ilumina a cidade: cotidiano, conflito e aprendizado à luz do “olhar estrangeiro” em um jornal-laboratório

O jornal-laboratório Lampião investe na vivência do cotidiano como atributo da
reportagem (IJUIM; VALENTINI, 2011) e possibilita exercícios de reflexão e de
abordagens da realidade, a partir da construção de pontos de vistas que privilegiem o
leitor. Desenvolvido em uma disciplina obrigatória no sexto semestre, Laboratório
Impresso I – Jornal, o periódico foi lançado em maio de 2011, tendo como seus primeiros
orientadores os professores Hila Rodrigues (reportagem), Ricardo Augusto (planejamento
visual) e Anderson Medeiros (fotojornalismo). Atualmente, inicia sua terceira turma,
sendo a cada período letivo repensada e reestruturada a forma de realizá-lo.

Impressões sobre o Impressões – jornal laboratório como instrumento de jornalismo contextualizado

Impressões é o nome que designa o jornal laboratório do Curso de Jornalismo
da Universidade Federal do Ceará. O nome atual foi definido no ano de 2009,
após uma reformulação de seu projeto gráfico. No primeiro semestre do ano de
2011, assumimos a disciplina Jornal-Laboratório, e iniciamos uma discussão
sobre a linha editorial e projeto gráfico do produto resultante da disciplina,
exatamente o Impressões. A discussão contou com a participação de estudantes
dos semestres anteriores da disciplina, em diálogo com a turma daquele
semestre. Foi a partir dessa análise que avançamos na definição de uma nova
linha editorial e de um novo projeto gráfico para o Impressões, calcados no
conceito de jornalismo contextualizado.

Entre o Humanismo e o Tecnicismo: a Experiência do Jornal Laboratório e do Estágio Universitário como prática simulada e assistida.

Os cursos de formação profissional de jornalistas trabalham a
dimensão humanística e tecnicista dos estudantes. Pedagogicamente2
, a
experiência do labor é vivida nos cursos de graduação pelo exercício do
estágio universitário (prática assistida) e pela produção dos jornais
laboratório (simulação do cotidiano das redações). Designamos como o Fazer
Jornalístico as atividades inerentes à profissão de Jornalista, por vezes,
questionadas sobre sua dimensão humanista e tecnicista nas graduações dos
cursos de Jornalismo e de Comunicação Social. A análise discute o papel do
estágio profissional e do jornal-laboratório resgatando tensões e incoerências
neste contexto, tendo estes dois elementos como etapas de acesso à profissão.

Entre a teoria e a prática: o jornal laboratório como espaço de extensão e prática profissional na formação do jornalista

O objetivo do artigo é demonstrar a importância do jornal laboratório para a
formação do profissional de jornalismo, a partir do relato de experiência do
Projeto de Graduação “Senso (in)comum: jornal laboratório como espaço de
aprendizado e prática profissional no Curso de Jornalismo UFU”, desenvolvido
no espaço da Agência de Notícias do Curso de Comunicação Social: Habilitação
em Jornalismo da Universidade Federal de Uberlândia, no período 2011-2012.

Alguns indicadores da produção em jornal laboratório em Curitiba

Esta comunicação tem por objetivo estabelecer um mapa da produção laboratorial
impressa, a partir dos jornais laboratório, dos cursos de jornalismo localizados na cidade de
Curitiba, bem como procurar reconhecer características que estão para além de apenas
espaços de ensino-aprendizagem. Trata-se de uma pesquisa maior, em curso, que tem por
intenção identificar a existência e principais características de jornais laboratório no Paraná
como forma de contribuir para o entendimento deste espaço de formação profissional.

A teoria na prática do Informativo FACED

O presente artigo relata como é a produção do Informativo FACED,
boletim informativo desenvolvido dentro do projeto de bolsa de graduação
“Informativo FACED: da pauta à produção em Jornalismo Impresso”. Para isso,
o artigo pretende abordar os desafios da teoria e prática no desenvolvimento de
uma ferramenta de Comunicação Interna na Faculdade de Educação (FACED)
pelo curso de Comunicação Social: habilitação em Jornalismo da Universidade
Federal de Uberlândia (UFU).

A pesquisa de opinião no jornal-laboratório: um estudo de caso do OutrOlhar

O presente trabalho é parte do
projeto de Iniciação Científica (PIBITI/CNPq) denominado “A

educomunicação como ferramenta para aprimoramento do jornal-
laboratório OutrOlhar”. Nessa etapa da pesquisa, busca-se analisar a

pesquisa de perfil do público-alvo realizada pelos estudantes que
produzem o jornal-laboratório, evidenciando seus resultados e
discutindo sua metodologia de aplicação com vistas a aprimorá-la.